Menu
Modelos
Menu

Tratamento ambiental do veículo em final da vida útil

Qualquer utilizador que tenha decidido desfazer-se de um veículo em final da vida útil é responsável pela sua entrega num Centro Autorizado de Tratamento (“CAT”) ou, se for o caso, numa instalação de receção.

A Porsche Ibérica participa, de forma conjunta com o resto dos fabricantes e importadores em Portugal, na Valorcar - Sociedade de Gestão de Veículos em Fim de Vida Lda., aderente com uma rede de centros autorizados de tratamento (CAT) - que garante a entrega gratuita e o correto tratamento ambiental do seu veículo.

Na sua página de internet (www.valorcar.pt), pode consultar os CAT aderentes mais próximos da sua localidade de residência, assim como outras informações relativas à gestão destes veículos (clique aqui).

Os Centros Oficiais Porsche estão igualmente à sua disposição para facilitar a entrega do seu veículo no CAT mais próximo.

Os materiais utilizados no fabrico de um veículo, bem como os respetivos métodos de conceção e de montagem, influenciam a forma como decorrerá o seu tratamento quando este se converta num Veículo em Fim de Vida (VFV).

Por esse motivo, logo nas fases de conceção e produção dos novos veículos, os Fabricantes:

  • Evitam a utilização de substâncias perigosas (p.e. já não se utilizam metais pesados como o chumbo, o cádmio, o mercúrio e o crómio hexavalente, salvo em reduzidas aplicações para as quais ainda não existem substitutos);
  • Tomam em consideração a necessidade de desmantelamento, reutilização e reciclagem dos VFV e dos seus componentes e materiais (p.e. produzindo peças facilmente desmontáveis, evitando a proliferação de materiais diferentes na mesma peça, utilizando materiais recicláveis);
  • Utilizam as “normas ISO de codificação” para rotular alguns componentes e materiais, a fim de que estes possam ser facilmente identificados e separados no desmantelamento (p.e. os plásticos e os elastómeros);
  • Integram, progressivamente, uma quantidade crescente de materiais reciclados, com vista ao desenvolvimento deste mercado (p.e. atualmente, cerca de 15% dos componentes plásticos utilizados nos novos veículos são provenientes da reciclagem, percentagem essa que deverá aumentar com a evolução das condições do mercado e da viabilidade técnica).

Por outro lado, no âmbito do sistema europeu de homologação é já avaliado o potencial de reutilização/reciclagem/valorização dos novos veículos. Assim, quando solicita a homologação de um novo veículo, o Fabricante tem que fornecer informações técnicas detalhadas sobre os componentes/materiais utilizados e recomendar uma estratégia para garantir a desmontagem e a reutilização dos componentes, bem como a reciclagem e a valorização dos materiais. As autoridades competentes só atribuem a homologação após terem comprovado que o veículo é reciclável a um nível mínimo de 85%, em peso, e valorizável a um nível mínimo de 95%, em peso. Estes dados passam a constar do modelo de “certificado de homologação CE”.
Em Portugal, os Fabricantes financiam a atividade da VALORCAR, para que esta organize uma rede de centros de recolha onde qualquer cidadão pode entregar o seu veículo, com a garantia que este vai ser reciclado e que a respetiva matrícula e registo vão ser cancelados. Encontra em www.valorcar.pt os endereços de todos os centros de recolha.