Porsche - Peças com pressa

Peças com pressa

[+]

Normalmente, é preciso 24 horas até que uma peça Porsche chegue até o cliente. Há um período de tempo de, no máximo, 90 minutos desde a entrada do pedido até a entrega

Assistência ao cliente e processos inteligentes definem a velocidade do suprimento mundial de peças de reposição. Uma visita ao Centro de Logística da Porsche, em Sachsenheim

Uma peça de giro rápido, lógico! Mas excepcionalmente não se trata de um motor boxer de seis cilindros e de sua velocidade máxima. Aquilo que a empilhadeira amarela está elevando agora em um palete é um para-choque de Cayenne – dianteiro e com a primeira demão. Uma clássica peça de reposição. No jargão da logística, a expressão “de giro rápido” significa uma peça requisitada com frequência pelos clientes – pois leves batidas em estacionamentos com danos no para-choque são comuns. Assim, um para-choque não fica muito tempo no estoque, mas logo segue viagem rumo ao cliente.

Estamos no Centro de Peças de Reposição da Porsche, em Sachsenheim. A empresa opera seu depósito central de peças de reposição no terreno de um antigo ponto de apoio militar, situado a uns bons 20 quilômetros a noroeste de Stuttgart. Para as pessoas de fora, ele soa como um lugar austero e frio. Numa visita ao local, porém, ele se mostra surpreendentemente agradável. Fachadas com amplas janelas propiciam uma agradável iluminação natural nos pavilhões. Grandes pôsteres de carros de corrida e outros modelos Porsche adornam as paredes. O clima é de grande movimentação.

O fornecimento é feito para mais de 800 locais no mundo todo. Dependendo da distância, as peças chegam ao seu destino no prazo de 24 a, no máximo, 48 horas. “A nossa máxima é o fornecimento com prazos adequados para o cliente”, afirma Marc Lösken, gerente do setor de Operações da Porsche Logística GmbH. Somente no ano passado, cerca de 10.000 para-choques passaram pelo centro. Todas as peças juntas – desde parafusos até capôs – somam um total de 22.000 pedidos processados diariamente. Isso funciona somente graças a um sistema sofisticado e a uma equipe bem motivada.

[+]

A Porsche de Sachsenheim fornece mercadorias a 800 locais de produção no mundo todo. A área do depósito abrange 32 hectares; é ali que 500 funcionários trabalham

O Centro de Logística, que desde o início das operações em 2008 se expande continuamente, conta neste meio-tempo com mais de 500 funcionários. Em novembro do ano passado, a Porsche ocupou os prédios do terceiro estágio de expansão. Consequentemente, a área do depósito aumentou 50%, ou seja, para 170.000 metros quadrados. Até o momento, 185 milhões de euros fluíram para capacitar o local para o futuro. E uma ampla área adicional de expansão está disponível – a área total do depósito abrange cerca de 32 hectares. Isso representa o equivalente a quase 44 campos de futebol.

Com tais dimensões, não é de se admirar que as peças tenham que ser transportadas com rebocadores industriais por longos percursos nos pavilhões do depósito. “Temos onze rebocadores que percorrem uns bons 420 quilômetros por dia”, afirma Lösken. Graças ao conceito inovador de rotas, um rebocador substitui cinco empilhadeiras que só transitam no trecho curto entre a estante e a “estação”. Para melhor orientação, as “paradas”, ou seja, os lugares onde a carga passa da empilhadeira para o rebocador, têm o nome de cidades alemãs e são localizadas de acordo com sua posição no mapa. Enquanto isso, na “Estação Lübeck”, a empilhadeira já colocou o para-choque do Cayenne em uma das cinco esteiras transportadoras. Pouco depois, um rebocador industrial se aproxima quase sem ruídos – todos os veículos no Centro de Logística são elétricos e algumas vezes podem até mesmo ser controlados remotamente. O condutor posiciona o palete com o para-choque no rebocador. Graças aos rolos da esteira, é preciso apenas um leve empurrão com a mão. Via controle remoto, ele conduz todos os módulos do rebocador para a frente, até que esteja totalmente carregado. Uma fita magnética no solo mantém o veículo na sua faixa ao longo desse percurso.

[+]

High speed na estante alta: as empilhadeiras elétricas recebem os pedidos via Wi-Fi; as peças chegam à saída de mercadorias pelo caminho mais curto

[+]

Diariamente, 200 caminhões se dirigem para o amplo depósito de 170.000 m² onde os rebocadores percorrem 420 quilômetros. O estoque conta com 125.000 números de material

Eis uma tecnologia fascinante que não só acelera o fornecimento, como também viabiliza o trabalho ergonômico e preserva o meio ambiente. Pois a energia elétrica para os rebocadores provém, na sua maior parte, do sistema fotovoltaico de 40.000 metros quadrados no teto do Centro de Logística. Esse sistema produz por ano aproximadamente dois milhões de quilowatt-horas – o que seria suficiente para suprir 500 residências médias de quatro pessoas. Outras medidas relativas à sustentabilidade são a própria usina de cogeração, bem como uma atitude coerente para evitar material supérfluo de embalagem. Assim, nos últimos três anos foi possível reduzir em 20% o consumo de papelão. O isopor, por exemplo, não é mais utilizado para proteger a carga nos pacotes. Aqui a Porsche aposta no papel sustentável, que é produzido especialmente para esse fim.

Diferentemente de algumas peças pequenas em Sach­senheim, o nosso para-choque não precisa mais ser embalado ou trocar de embalagem. Ele já veio do fornecedor na embalagem compacta de contorno e segue sua “viagem” dentro do Centro de Logística da “Estação Regensburg” na direção noroeste para “Lübeck”. Agora o destino é “Karlsruhe”, a parada na saída sul de mercadorias. No percurso, o transporte de peças passa pelo depósito de estantes altas de peças de reposição médias. Aqui, peças de tamanho médio são empilhadas, atingindo uma altura de 16 metros. Empilhadeiras amarelas se movem rapidamente pelos corredores das estantes, com seus garfos que sobem e descem sem parar. O tamanho das peças define o princípio da organização do depósito – peças grandes, médias, pequenas, de giro rápido e lento. E por falar nisso, os componentes de protótipos para o desenvolvimento e as peças para o circuito de treinamento na produção fazem parte desse conjunto, bem como peças históricas para a Porsche Classic e um amplo sortimento Exclusive e Tequipment.

Neste ínterim, o estoque total é de mais de 125.000 números de material armazenado. Dentro dos setores do depósito há uma organização “caótica” que é intencional. Ou seja, puxadores de porta ficam ao lado de tampas de tanque de combustível, limpadores de para-brisa ao lado de faróis – somente o computador sabe o que pode ser encontrado aonde. E ele calcula o local ideal no depósito para todas as peças: para que o percurso seja pequeno e o tempo gasto permaneça baixo quando houver demanda. No caso de encomendas médias e grandes – como, por exemplo, o para-choque do Cayenne – um terminal na empilhadeira recebe do computador de entrada de pedido, via Wi-Fi, o pedido designado como “pedido de retirada”. Em seguida, o condutor imprime uma etiqueta de código de barras com todas as informações, tais como tipo da peça, local no depósito e local de destino.

[+]

Nenhum ser humano consegue acompanhar esse ritmo: no sistema de depósito automático de pequenas peças, as caixas saem de modo totalmente automático para o comissionamento

Do lado direito, entra em ação o sistema de depósito automático de pequenas peças (AKL), o coração de Sachsenheim. Ele administra de modo totalmente automático até 295.000 locais de carregamento e é configurado para até 1.650 comissionamentos por hora. Aqui, recipientes com dispositivos de controle, CDs de navegação ou pastilhas de freio passeiam em esteiras transportadoras, saindo das estantes para os 16 locais de comissionamento das peças do pedido. Remessas expressas saem diariamente de Sachsenheim em 60 caminhões rumo aos clientes ou, no caso de grandes distâncias, para os aeroportos de Stuttgart, Munique ou Frankfurt. A Porsche prepara a carga aérea em uma área separada e restrita; o acesso a ela só é permitido com uma autorização especial. Assim, o pedido pode ser declarado como “de remetente conhecido” e ser transportado diretamente para o aeroporto. O demorado controle de segurança no aeroporto é dispensado – o que por sua vez contribui para que o pedido chegue mais rápido ao seu destino. A Porsche envia por navio as remessas volumosas que não têm grande pressa para os depósitos regionais. Atualmente, esse tipo de depósito intermediário está presente em dez países; entre outros, em mercados tão grandes como EUA e China. Eles assumem o suprimento de peças de reposição diretamente no local, cujo reabastecimento provém de Sachsenheim.

O para-choque do Cayenne segue rumo à área de carregamento do caminhão. Uma placa com a inscrição “saída de mercadorias” está pendurada no teto. A meta é o Centro Porsche no sul da França. Lösken lança um olhar no relógio: “Não se passaram nem uma hora e meia. Desde a entrada do pedido até a entrega, há um período de tempo de, no máximo, 90 minutos”, afirma o gerente e acrescenta: “é isso que significa ‘Intelligent Performance’ na logística Porsche.”

Texto Thorsten Schönfeld
Fotos Bernd Kammerer