HOME

Navegação principal
Modelos
911

Performance 911 Turbo S Cabriolet

Porsche 911 Turbo S Cabriolet - Performance

Performance

6 cilindros. Motor traseiro. Em disposição boxer. Não nos desviamos deliberadamente de alguns princípios. Pois a construção típica da Porsche e a posição do motor garantem uma distribuição da carga muito boa, um equilíbrio de massas excelente, vibrações reduzidas e um baixo centro de gravidade. Os cilindros com uma cilindrada total de 3,8 litros estão dispostos em duas filas, em posições opostas.

Já só falta o que torna um Porsche num 911 Turbo: os dois turbocompressores de geometria variável. E há ainda o colector de expansão de ar e o VarioCam Plus. Podíamos falar do fogo interior dos modelos 911 Turbo. Ou simplesmente de uma excelente base para a referência. Está disponível com dois níveis de potência.

O 911 Turbo e o 911 Turbo Cabriolet produzem 383 kW (520 CV) entre as 6.000 e as 6.500 rpm e um binário de 660 Nm entre as 1.950 e as 5.000 rpm (temporariamente 710 Nm com a função “Overboost” do pacote opcional Sport Chrono).

Os modelos 911 Turbo S debitam 412 kW (560 CV) entre as 6.500 e as 6.750 rpm. O binário máximo situa-se nos 700 Nm, sem restrição temporal. Com a função “Overboost” do pacote Sport Chrono, de série, pode ser aumentado para os 750 Nm.

Quem tem tanto para dar, tem de poupar noutro lado. Por exemplo, no consumo e nas emissões de CO2. Situam-se até 16% abaixo dos valores da geração anterior. Tudo graças a tecnologias que mantêm o peso do veículo reduzido e aproveitam ao máximo o combustível.

Estas incluem medidas para aumentar a eficiência, tais como o sistema de gestão térmica, a recuperação de energia eléctrica, a função Auto Start-Stop ou a função “Velejar”.

Igualmente exemplar: os modelos 911 Turbo cumprem já hoje a norma de gases de escape Euro 6, que será vinculativa para todos os veículos novos matriculados com motor a gasolina a partir de Setembro de 2015.

Ambas as variantes do motor dispõem de um sistema de injecção directa de gasolina (DFI). O sistema DFI injecta o combustível directamente e com uma precisão de milésimos de segundos na câmara de combustão. Os ângulos de fecho e de abertura foram optimizados em relação ao binário, potência, consumo e emissões. O sistema de gestão do motor controla o ponto e a quantidade de injecção individualmente para cada cilindro ou banco de cilindros. A taxa de compressão obtida desta forma resulta numa potência acrescida e num maior grau de eficiência do motor.

A lubrificação de cárter seco integrada garante uma alimentação segura de óleo, assumindo funções de arrefecimento adicionais. A bomba de óleo electrónica assegura uma alimentação de óleo regulada em função das necessidades. Tipicamente eficiente. Como o reservatório de óleo está integrado no motor, foi possível prescindir de um depósito de óleo. O que ajuda a poupar espaço. E peso. O motor de 6 cilindros biturbo de 3,8 litros é construído em liga leve. O peso reduzido do motor em comparação com a sua potência aumenta a agilidade e reduz o consumo. São utilizadas bielas forjadas. Para o aumento da resistência, o motor dispõe de pistões em alumínio forjado, refrigerados de forma específica por bicos de injecção de óleo, deslizam em cilindros em liga de alumínio e silício.

Tudo isto tem consequências. Para si. Para a sensação de condução 911 Turbo. Mais concretamente: para uma potência extraordinária e um consumo surpreendentemente baixo, especialmente em comparação com os motores com cilindrada significativamente maior. Simplesmente, para muito fogo. E muitas ideias.